quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Gotas de Sangue

Aqui estamos . Bêbados de nossas desgraças, drogados em nossas desavenças e morrendo no chão de cascalho, montado pelo sangue pulsado para fora do meu corpo .
Com seus espinhos, o seu riso me cortou em parte alheias. Juntando seu prazer, com o meu simplório e ridículo choro .
Ao levantar meu rosto ferido pela falta de glória e compaixão, percebi que você nunca vai precisar de mim o quanto eu preciso de você . Nem mesmo que o seu amor irá me amar no mesmo querer do meu .
Minha pele arrepia ao ouvir seu nome através daquela mesma música, que um dia, me fazia sorrir . E que hoje, me faz derramar lágrimas sob as rosas do nosso casório de mágoas e conflitos .
Não quero mais andar em cacos de vidros, não quero mais derramar sangue para te manter vivo . Me leve para casa, me limpe com suas lágrimas . Quero que o meu sangue, reflita em você em forma de dor e tristeza, para que sintas o quanto seu calor me faz permanecer vivo .
Teu cheiro percorre minha roupa que rasgada por sua humilhação, insistem em tampar o que você violou sem permissão, aquilo que saciou sua fome, antes de me jogar do seu arranha-céu .
Vou andando sem direção, assombrando suas pegadas, que sem destino, seguem por essa avenida rodeada de idiotas e insolentes semelhantes à você .
Olhe para trás, e veja, como a sua desgraça transformou minha face e meu jeito de te querer.
Antes vivo e desde então, sangrando por suas entranhas .
Quero que sejas feliz, enquanto estiveres vivo . Te espero em meu mausoléu, juntaremos as asas, e pela escuridão voaremos, assim espero, assim estaremos

Autor : Cristian Schröder

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. PARABÉNS PELO TEXTO :) SUPER SEGUINDO!

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. e depois vc diz q o drama é meu. rs. não gosto desta coisa derramada. qdo escrevo um texto eu enxugo a tal modo q o lirismo passe alguma sutileza, q seja um respiro, q a leitura seja um tempo suspenso. meu texto atual é sobre paixão. só o nome, em si, já é carregado. então fiz, refiz, descolei coisas, apaguei outras, descrevi cenas reais pra ficar quase cru. no fim, falei mesmo foi de amor. rs. sem drama. e vc sabe bem pq.

    ResponderExcluir
  4. cada um tem seu estilo de escrever não acha ? acho que não devemos criticar o alheio com qualidades e defeitos esperando que o próximo seja semelhante a você . Seu direito é de não gostar, mas seu direito termina quando critica meu texto julgando-o e o comparando com os seus .

    ResponderExcluir