quinta-feira, 26 de abril de 2012

Apenas Um Livro Vazio





De tanto ouvir e pouco dizer, criei um vocabulário rico de suas ironias e completo de sua imparcialidade .
As sílabas se concentram em palavras deslocadas de sentidos, fazendo repulsa ao meu bom senso ocular. Não que eu não goste de ler suas meras desculpas lotadas de mentiras, mas é que aprendi que julgar o livro por sua capa, geralmente nos livra de dores que situações que não queremos viver .
Já carreguei sua trilogia insegura em meu peito por um bom tempo, hoje, não mais preciso de suas palavras de auto estima para levar um bom dia.
Se você fosse menos Michael Crichton e mais Beethoven, talvez sua vontade de recriar o passado no presente, cessaria pela prova que nosso amor não era apenas mais uma noite de verão, e sim uma eterna manhã de primavera .
Sua incapacidade de se auto-decifrar, o fez ignorante em vida e cego em interesses .
Hoje olho no espelho toda manhã, sem me preocupar em dissimular um sorriso para que você continue escrevendo sue eterno conto .
Conto esse que nunca fui personagem principal muito menos moço ou vilão, apenas apareço em páginas brancas com seu fim já escrito .
Feche suas capas, pule seus capítulos e se possível, mate a si mesmo ! Nada melhor que ver toda essa sua divina criação, de fora da mesma !

Autor : Cristian Schroder

3 comentários:

  1. "Sua incapacidade de se auto-decifrar, o fez ignorante em vida e cego me interesses "

    Lindo você.

    ResponderExcluir
  2. DA SÉRIE: "soh fui um marca péginas"

    ResponderExcluir